Júri Final 2018

Jiro Takahashi
Mestre em Linguística – Semiótica Literária – pela FFLCH da Universidade São Paulo, onde se graduou em Letras. Especializou-se nas áreas de Linguística, Semiótica e Literatura Brasileira Contemporânea. Atuou por mais de 40 anos como profissional de edição nas editoras Ática, Nova Fronteira, Estação Liberdade, grupos Ediouro e Rocco e Editora Nova Aguilar. Foi membro do Conselho de Literatura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo em 1983/1984. É membro do Conselho Editorial das revistas Tradução & Comunicação. Desde 1976, é professor universitário, tendo lecionado na FMU, Unibero e FECAP.
Atualmente é docente da Casa Educação e da Universidade Unibero/Kroton.
Julián Fuks
Nascido em 1981, Julián Fuks é escritor e crítico literário. É autor de “A resistência”, romance ganhador dos prêmios Jabuti, Saramago e Anna Seghers, entre outros. É também autor de “Procura do romance” e “Histórias de literatura e cegueira”, ambos finalistas do Jabuti e do Portugal Telecom. É mestre em literatura hispano-americana e doutor em teoria literária pela USP.
Em 2012, foi escolhido pela revista Granta como um dos “melhores jovens escritores brasileiros”. Livros seus já foram traduzidos para oito línguas e publicados em diversos países.
Moacir Amâncio
O escritor, jornalista e professor Moacir Amâncio, nasceu em Pinhal, no estado de São Paulo. Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo, onde atualmente é professor de Literatura Hebraica. Sua tese “Dois palhaços e Uma Alcachofra”, publicada pela Nankin Editorial (2001), é um estudo sobre a expressão judaica contemporânea a partir de romance do autor israelense Yoram Kaniuk intitulado “Adam Filho de Cão” e da arquitetura de Frank O. Gehry. Como jornalista, atuou em diversas publicações, entre elas “O Estado de S. Paulo”, onde publica artigos sobre literatura. Ele tem livros de ensaios, ficção, poesia jornalismo e traduções da literatura hebraica (ficção e poesia) e do Talmud. Seus livros de poemas publicados até então foram reunidos em “Ata” (2007, Record). Seu livro, “Yona e o Andrógino – notas sobre poesia e cabala” (Nankin/Edusp (2010), é sobre a poetisa israelense Yona Wollach. Em 2017 publicou “Matula” (Annablume), uma longa composição poética sobre a experiência dos cripto-judeus e dos cristãos novos em Portugal e no Brasil.
Neide Aparecida de Almeida
Socióloga, mestre em Lingüística Aplicada ao Ensino pela PUC-SP. Docente, pesquisadora e consultora na área de leitura e literatura, especialmente as literaturas negras brasileiras e africanas. Escritora, autora de materiais didáticos e de referência, sobretudo para professores e educadores. Atualmente coordena o Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil, compõe a equipe de consultores na área relações étnico-raciais do Programa de Direitos Humanos do IBEAC – Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário, é consultora na área de literatura. Compõe o grupo de apoio curatorial do Festival do Livro e Literatura de São Miguel Paulista Integra o Conselho Editorial do selo Ferina, da Pólen Livros. Desde 1986 atua em projetos de leitura voltados para diferentes públicos. A partir de 1993 passa a integrar equipes de formação de professores da área de língua portuguesa, sempre como foco nos processos de leitura e escrita. Participa de equipes de coordenação de projetos de leitura. De 2007 a 2013 foi assessora e consultora do Programa Prazer em Ler, Instituto C&A. Nesse mesmo período acompanhou implantação de diversos espaços de leitura e realizou formação de formadores e mediadores de leitura. Participou também como avaliadora em editais para projetos de leitura, compôs o corpo de jurados dos Prêmios Akoni, Prêmio Literário LiteraSampa.
Ubiratan Brasil
Ubiratan Brasil nasceu em Tupã, no interior de São Paulo, formou-se em jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Iniciou a carreira na imprensa trabalhando como repórter de esportes na revista Placar (1985-1990) e nos diários Jornal da Tarde (1990-1992), Folha de S.Paulo (1992-1994) e O Estado de S.Paulo (1994-2000). Nesse período, cobriu as copas dos Estados Unidos (1994) e França (1998), além da Olimpíada de Atlanta (1996). Foi para o Caderno 2, do Estado, em 2000, como repórter. Atualmente, é o editor do caderno, com coberturas da Feira do Livro de Frankfurt, da Flip e da entrega do Oscar, entre outros.