Júri Inicial

Andre Luiz Ponce Leones
Nascido em Goiânia em 1980,  é autor dos romances “Abaixo do Paraíso” (Rocco, 2016), “Terra de casas vazias” (Rocco, 2013) e “Hoje está um dia morto” (Record, 2006 – vencedor do Prêmio SESC de Literatura), entre outros. É colaborador do jornal “O Estado de São Paulo”
Camilla Fernanda Dias Domingues
 Com 35 anos, mulher preta, Assistente Social de formação, leitora assídua, mediadora de leitura e influenciadora digital. Residente na cidade de Santo André/SP desde o nascimento, mãe de Elisa e Samuel, casada com Danilo.
Denilson Soares Cordeiro
Professor de Filosofia na Unifesp. Graduado e doutor em Filosofia, ambos pela FFLCH-USP, e pós-doutor pela Universidad de Buenos Aires.
Juliana Gomes
 É formada em Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi, especialista em negócios editoriais. Trabalhou em empresas como Livrarias Curitiba, Livraria da Vila e Cosac Naify. Criadora e uma das coordenadoras do Projeto Leia Mulheres no Brasil.
Maria da Aparecida Saldanha
 Graduada em Ciências Sociais pela Escola de Sociologia Política de São Paulo, atua como vendedora na Livraria da Vila desde o ano de 1990. Trabalha com livros desde 1983 e atuou como jurada do Prêmio São Paulo em anos anteriores.
Mariana Ianelli Aquino
 Nasceu em São Paulo em 1979. Mestre em Literatura e Crítica Literária pela PUCSP, colaborou para os jornais O Globo (Caderno Prosa), Valor Econômico (Caderno Cultura & Estilo) e O Estado de S. Paulo (Caderno 2). Estreou na literatura em 1999. É autora de oito livros de poesia, entre os quais “Fazer silêncio” (2005), “O amor e depois” (2012) e “Tempo de voltar” (2016). Recebeu o prêmio Fundação Bunge de Literatura (antigo Moinho Santista) na categoria Juventude, menção honrosa no prêmio Casa de las Américas (Cuba) e foi quatro vezes finalista do Jabuti. Possui dois livros de crônicas, “Breves anotações sobre um tigre” (2013) e “Entre imagens para guardar” (2017). Escreve quinzenalmente aos sábados na revista digital de crônicas Rubem e no blog da editora Olho de Vidro.
Rafael Eduardo Gallo
 Nasceu em São Paulo em 1981. Graduado em Música pela UNESP – São Paulo e mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela USP – São Paulo. É autor de “Rebentar” (Record, 2015), romance vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2016, e de “Réveillon e outros dias” (Record, 2012), livro de contos vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2011/2012. Tem ainda contos publicados em diversas revistas e antologias, como a Desassossego (Mombak, 2014) e a Machado de Assis Magazine (Biblioteca Nacional, 2012).
Ricardo de Medeiros Ramos Filho
 É escritor com livros editados no Brasil e no exterior, publicados em Portugal e nos Estados Unidos. Mestre em Letras no Programa de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, doutorando no mesmo programa. Desenvolve pesquisa na área de literatura infantil e juvenil, onde vem trabalhando academicamente Graciliano Ramos, privilegiando o olhar sobre seus textos escritos para crianças e jovens. Professor de Literatura no curso de Letras da FMU. É roteirista de cinema com roteiros premiados, tendo ministrado curso de extensão na ESPM. Atua como coach literário, orientando clientes na elaboração de seus livros. Cronista da revista literária eletrônica Escritablog, e da revista portuguesa da cidade do Porto, InComunidade, onde publica mensalmente. Participou como jurado de concursos literários: Proac, Portugal Telecom, Oceanos, Prêmio São Paulo de Literatura, Prêmio Mato Grosso de Literatura, Paulo Setúbal de Tatuí. Curador do 1º Prêmio Nelly Novaes Coelho UBE de Literatura Infantil. Sócio proprietário da empresa Ricardo Filho Eventos Literários, onde atua como produtor cultural. Possui graduação em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1986).
Tiago Pedro Ferro Espilotro
Nasceu em São Paulo em 1976. Editor e escritor, é um dos fundadores da editora de e-books e-galáxia e da revista de ensaios Peixe elétrico. Colabora regularmente com textos sobre cultura para importantes veículos como as revistas piauí, Cult e Suplemento Pernambuco. Mestre em história social pela Universidade de São Paulo, atualmente pesquisa a obra do crítico literário Roberto Schwarz no programa de doutorado da mesma universidade. “O pai da menina morta” é seu romance de estreia.
Wilson Alves-Bezerra
 Nasceu em São Paulo em 1977.  É poeta, tradutor, crítico literário e professor de literatura. É autor dos seguintes ensaios: Reverberações da fronteira em Horacio Quiroga (Humanitas/FAPESP, 2008), Da clínica do desejo a sua escrita (Mercado de Letras/FAPESP, 2012) e Páginas latinoamericanas – resenhas literárias (2009-2015) (EDUFSCar / Oficina Raquel, 2016); e das seguintes obras literárias: Histórias zoófilas e outras atrocidades (contos, EDUFSCar / Oitava Rima, 2013), Vertigens (poemas em prosa, Iluminuras, 2015, que recebeu o Prêmio Jabuti 2016), O Pau do Brasil (poemas em prosa, Urutau, 2016). Tem livros publicados também em Portugal – Exílio aos olhos, exílio às línguas (Oca, 2017) – e Chile – Historias zoofilas y otras atrocidades (LOM, no prelo). Atua ainda como tradutor literário: traduziu autores latino-americanos como Horacio Quiroga (Contos da Selva, Cartas de um caçador, Contos de amor de loucura e de morte, todos pela Iluminuras) e Luis Gusmán (Pele e Osso, Os Outros, Hotel Éden, ambos pela Iluminuras). Sua tradução de Pele e Osso, de Luis Gusmán, foi finalista do Prêmio Jabuti 2010, na categoria Melhor tradução literária espanhol-português. Como resenhista, atualmente colabora com O Estado de S. Paulo, O Globo, A União (Brasil) e El Universal (México). É doutor em literatura comparada pela UERJ e mestre em literatura hispanoamericana pela USP, onde também se graduou. É professor de Departamento de Letras da UFSCar, onde atua na graduação e na pós-graduação. Foi coordenador de cultura da UFSCar, de 2013 a 2016.

 

Resolução GS – Júri Inicial