Confira as mudanças no Prêmio Jabuti

O Prêmio Jabuti tem mudanças em sua 60ª edição. Entre as novidades consta a diminuição no número de categorias.

Os concorrentes agora disputam a premiação com obras divididas em quatro eixos: Literatura, Ensaios, Livros e Inovação. Essa alteração, em especial, visa, segundo os organizadores, aproximar a premiação dos leitores e se atualizar frente ao mercado.

As mudanças passam também pelo lançamento, em 2018, da categoria Formação de Novos Leitores (pertencente ao eixo Inovação) e da inclusão, em inscrições diferenciadas, de autores independentes.

O Prêmio Jabuti 2018 terá uma nova forma de premiação, que passa a contemplar apenas o primeiro colocado de cada categoria, escolhido entre os dez livros com melhor nota atribuída pelo corpo de jurados.

De acordo com as informações do site do prêmio, um autor será escolhido, a partir de agora, como vencedor do Livro do Ano (Ficção ou Não Ficção) pelos jurados, com base na maior média obtida. Concorrem a este prêmio apenas os vencedores das categorias que compõem os eixos Literatura e Ensaios (Conto, Crônica, Histórias em Quadrinhos, Infantil e Juvenil, Poesia, Romance, Tradução, Artes, Biografia, Ciências, Economia Criativa e Humanidades).

As inscrições, que começaram em 15 de maio, vão até 28 de junho. Para saber mais, acesse https://www.premiojabuti.com.br/

 

 

Leia Mais →
Comentários:0 / Compartilhar:

Maria Valéria Rezende lança livro de contos

Maria Valéria Rezende, vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura na categoria  Melhor Livro de Romance do Ano, acaba de lançar novo trabalho: “A Face Serena”.  O livro, que reúne 37 contos, retrata as  várias fases na vida das pessoas e propõe reflexão sobre experiências como o medo, a angústia, o carinho, a vida, a morte e as descobertas.

Vivendo atualmente na Paraíba, Maria Valéria nasceu em Santos (SP) em 1942, é formada em Língua e Literatura Francesa, Pedagogia e Mestre em Sociologia. Entre suas obras constam “O Voo da Guará Vermelha”, publicado em Portugal e França, o romance “Outros Cantos”, e o  infantil “No Risco do Caracol”.

Para saber mais sobre “A Face Serena”, novo livro da escritora pela Editora Penalux, acesse: http//editorapenalux.com.br/loja/a-face-serena

 

 

Leia Mais →
Comentários:0 / Compartilhar:

Atenas é Capital Mundial do Livro em 2018

A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) designou a cidade de Atenas, na Grécia, como a Capital Mundial do Livro em 2018. A localidade foi escolhida em reconhecimento da qualidade de seus programas de apoio ao setor editorial.

As cidades nomeadas se comprometem a promover atividades de leitura e de promoção de livros durante todo o ano. .Entre as cidades que já receberam o título estão Bogotá, Buenos Aires, Madri, Beirute, Amsterdam e Nova Délhi.

Para saber mais sobre as atividades da Unesco, acesse: https://www.facebook.com/unescohttp://www.unesco.org/new/pt/brasilia, além de https://www.facebook.com/unescobrasil/

 

Leia Mais →
Comentários:0 / Compartilhar:

Vem aí a 13ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas

Tudo pronto para a Flipoços – Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas (MG), que vai de 28 de abril até 6 de maio, no Espaço Cultural da Urca, com entrada gratuita.

Na programação, da qual constam encontros com escritores e venda de livros, está o lançamento do mais recente romance de José Santana Filho, “Flor de Algodão”, marcado para o dia 3 de maio, às 19h, na Sala Casino do Museu Histórico e Geográfico da cidade. Haverá mediação da jornalista Ivani Cardoso.

Outra das presenças confirmadas é a do vencedor do Prêmio LeYa em 2017, o escritor português João Pinto Coelho, que visita pela primeira vez o Brasil.

Para conferir a programação completa e saber mais sobre o evento, acesse o site oficial www.flipocos.com

Leia Mais →
Compartilhar:

Perfil de Maria Valéria Rezende na Marie Claire

A revista Marie Claire entrevistou Maria Valéria Rezende, vencedora da categoria Melhor Livro de Romance do Ano da décima edição do Prêmio São Paulo de Literatura. O romance Outros Cantos, publicado pela Alfaguara, ganhou o troféu em novembro. Em janeiro de 2017, a escritora havia ganho o Casa de Las Américas pela mesma obra. Em 2015, faturou o Jabuti com o romance Quarenta dias. Além da força e do impacto da obra, essa quantidade de prêmios e títulos coloca a autora santista como uma das vozes mais importantes da literatura contemporânea brasileira.

Escreve a publicação da Editora Globo:

Ela já fumou maconha, lutou contra a ditadura e foi amiga de Fidel Castro. Como missionária, deu a volta ao mundo quatro vezes, alfabetizando adultos e crianças. Morou na China, na Argélia, no México e no Timor Leste. Nos últimos anos, lançou quatro romances, uma coletânea de contos, e tornou-se uma das mulheres mais relevantes da literatura do país. Em entrevista a Marie Claire, Maria Valéria Rezende defende o aborto legal e mostra por que o estereótipo de religiosa inocente não cola nesta militante que briga por mais espaço para as escritoras femininas.

Confira a entrevista completa neste link.

Leia Mais →
Compartilhar:

Hilda Hilst é a homenageada da Flip 2018

Em sua 16ª edição, a Flip vai homenagear a escritora Hilda Hilst, que fez sua literatura em torno de temas como o amor, a morte, Deus, a finitude e a transcendência. Com curadoria de Joselia Aguiar, a Flip 2018 acontece de 25 a 29 de julho, em Paraty (RJ). “Será uma Flip intimista, com muita poesia e teatro, um pouco de irreverência e debates sobre criação artística, a arte e a natureza, a literatura e a filosofia. A pesquisa de repertório será a mesma, ou seja, vamos manter a preocupação em ter autores e autoras plurais”.

A jornalista e crítica literária vê pontos em comum entre Lima Barreto, autor celebrado no ano passado, e Hilda Hilst. “Ambos foram transgressores, cada um a seu modo e em seu tempo e se dedicaram à escrita de modo tal que ultrapassaram o limite do que era esperado de cada um: ele como autor negro de baixa renda, ela como mulher livre numa sociedade que não estava acostumada a isso.”

Hilda de Almeida Prado Hilst (1930-2004) escreveu poesia, ficção, teatro e crônica, tendo construído uma obra singular em língua portuguesa na segunda metade do século 20 em torno de temas como o amor, o sexo, a morte, Deus, a finitude das coisas e a transcendência da alma. Paulista de Jaú, sua obra reúne dezenas de títulos, entre os quais obras-primas como Cantares de perda e predileção (poesia), Rútilo nada (ficção) e A obscena senhora D (ficção).

Recebeu prêmios como o Jabuti, o APCA, o Pen Clube São Paulo, o Cassiano Ricardo e está traduzida para o inglês, francês, espanhol, basco, alemão, italiano, norueguês e japonês. Grande parte de seus livros foi publicada pelo célebre editor artesanal Massao Ohno em volumes feitos com apuro estético, mas de reduzida circulação.

Após sua morte, a Globo Livros relançou toda a sua obra sob os cuidados do crítico Alcir Pécora. A reunião de sua obra poética, Da poesia, foi publicada em 2017 pela Companhia das Letras, que tem uma série de publicações previstas para este ano. Em 2019, a editora lançará uma trilogia erótica e, em 2020, a biografia da autora.

 

Leia mais —>

http://flip.org.br/edicoes/flip-2018/noticias/hilda-hilst-e-a-homenageada-da-flip-2018

http://www.publishnews.com.br/materias/2017/12/06/hilda-hilst-sera-a-homenageada-da-flip-2018

Leia Mais →
Compartilhar: