Mulheres vencem todas as categorias do Prêmio São Paulo de Literatura

Mulheres vencem todas as categorias do Prêmio São Paulo de Literatura

Três escritoras foram as vencedoras do Prêmio São Paulo de Literatura 2018. A cerimônia de entrega dos prêmios foi realizada, na noite de 5 de novembro, na Biblioteca Parque Villa-Lobos, na zona Oeste da capital paulista, e contou com a presença de Romildo Campello, Secretário Estadual da Cultura, escritores, editores, jornalistas e leitores, além de outros profissionais ligados ao setor. Com o auditório cheio, o evento, comandado pela jornalista Chris Maksud,  teve início com apresentação de detalhes sobre a premiação e vídeo institucional da SP Leituras, apresentando a Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos, ambas finalistas de premiações internacionais em 2018.

A noite de festa contou ainda com performance da atriz e contadora de histórias Kiara Terra, que, com a contribuição da plateia, construiu uma história marcada pela poesia, música e emoção. O esperado anúncio dos vencedores deu-se a seguir e surpreendeu a todos com a premiação de três mulheres, feito inédito na história do Prêmio São Paulo de Literatura.

Aline Bei, de “O peso do pássaro morto”, foi a primeira a ser anunciada – por Rogério Pereira, diretor da Biblioteca Pública do Paraná e curador da premiação – como ganhadora na categoria de Melhor Livro do Ano – Estreantes / menos 40 anos. Emocionada, Aline agradeceu aos que acompanharam a sua trajetória (família, editora etc.), citando inclusive  o escritor Marcelino Freire. E destacou, ao final, a importância da Literatura: “a gente tem que estar com um livro na mão e não com arma. É livro! Literatura salva!”, disse em seu discurso de agradecimento. Cristina Judar, de “Oito do sete”, foi a vencedora na categoria Melhor Livro do Ano – Estreantes / mais 40 anos, prêmio entregue por Sílvia Alice Antibas, coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura. Cristina é jornalista, escritora e autora de histórias em quadrinhos e, em sua obra, que trata do momento atual, da contemporaneidade, reúne personagens que remetem à temática LGBT.

O último anúncio da noite foi o da vencedora da categoria Melhor Livro do Ano. Romildo Campello, Secretário Estadual da Cultura, fez as honras ao chamar Ana Paula Maia, de “Assim na terra como embaixo da terra”. A escritora não compareceu ao evento, pois está no exterior. Um coquetel encerrou a festa na Oca da Biblioteca Parque Villa-Lobos. Veja, aqui,  as fotos do evento.

Comentários:0 / Compartilhar:

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *