Prêmio São Paulo de Literatura 2014 anuncia finalistas

O Prêmio São Paulo de Literatura, promovido pelo Governo do Estado de São Paulo, já escolheu os 20 livros e autores finalistas de sua sétima edição, nas três categorias. São 10 escritores concorrendo ao prêmio de R$ 200 mil, na categoria Melhor Livro de Romance do Ano; sete disputarão R$ 100 mil, na categoria Melhor Livro de Romance do Ano – Autor Estreante com mais de 40 anos; e 3 concorrendo a $ 100 mil, na categoria Melhor Livro de Romance do Ano – Autor Estreante com menos de 40 anos. Todos foram publicados pela primeira vez em 2013 com primeira edição em língua portuguesa.

Com R$ 400 mil no total, o Prêmio São Paulo de Literatura é o maior do país em valor. Tem como principais objetivos incentivar a produção literária de qualidade, apoiar e valorizar novos autores e editoras independentes, além de incentivar a leitura, por meio da promoção de bate-papos dos finalistas com o público, tanto na Capital e no interior. Além disso, todos os livros finalistas ficam à disposição para empréstimo na Biblioteca de São Paulo, localizada no Parque da Juventude. Também as bibliotecas municipais e comunitárias integrantes do SisEB (Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas) serão estimuladas a ter os livros em seus acervos e divulgá-los à comunidade.

FINALISTAS

MELHOR LIVRO DE ROMANCE DO ANO 2013

Adriana Lisboa – Hanói, Alfaguara  (Objetiva)

Alberto Martins – Lívia e o cemitério africano (Editora 34)

Ana Luisa Escorel – Anel de vidro (Ouro sobre azul)

Bernardo Carvalho – Reprodução (Cia. das Letras)

Carlos de Brito e Mello – A cidade, o inquisidor e os ordinários (Cia. das Letras)

Joca Reiners Terron – A tristeza extraordinária do leopardo-das-neves (Cia. das Letras)

Marco Lucchesi – O bibliotecário do imperador (Globo Livros)

Michel Laub – A maçã envenenada (Cia. das Letras)

Rodrigo Lacerda – Carlos Lacerda – A República das abelhas (Cia. das Letras)

Sérgio Rodrigues – O Drible (Cia. das Letras)

 

MELHOR LIVRO DO ANO DE ROMANCE – AUTORES ESTREANTES

+ 40 ANOS

Amilcar Bettega – Barreira (Cia. das Letras)

Cadão Volpato – Pessoas que passam pelos sonhos (Cosac Naify)

Marcelino Freire – Nossos ossos (Record)

Flavio Cafiero – O frio aqui fora (Cosac Naify)

João Anzanello Carrascoza – Aos 7 e aos 40  (Cosac Naify)

Rogerio Pereira – Na Escuridão, amanhã (Cosac Naify)

Verônica Stigger – Opisanie Swiata (Cosac Naify)

 

ATÉ 40 ANOS

Ieda Magri – Olhos de bicho (Rocco)

Laura Erber – Esquilos de Pavlov, Alfaguara (Objetiva)

Marcos Peres – O evangelho segundo Hittler (Record)

 

No ano passado, foram premiados Daniel Galera, com Barba Ensopada de Sangue(Melhor Livro do Ano), Paula Fábrio com Desnorteio (Autor Estreante +40) e Jacques Fux com Antiterapias (Autor Estreante -40).

Este ano, o destaque fica por conta dos romancistas cariocas que, juntos, somam sete indicações, seguidos por São Paulo (3), Rio Grande do Sul (3), Santa Catarina (3), Minas Gerais (2), Pernambuco (1) e Mato Grasso do Sul (1). Entre as editoras também há novidades. A carioca Ouro sobre Azul, criada pela designer brasileira Ana Luisa Escorel, em 2004, configura pela primeira vez no quadro de finalistas com o livro, Anel de vidro. Já entre as editoras tradicionais se destacam a Companhia das Letras com sete finalistas e a Cosac Naify, com cinco.

A categoria autores estreantes com menos de 40 anos traz entre as revelações uma jovem promessa, de 29 anos, Marcos Peres. Natural de Maringá, ele é bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Maringá e acaba de vencer o Prêmio SESC de Literatura 2012/2013 com o romance O Evangelho segundo Hitler, o mesmo que concorre no Prêmio São Paulo de Literatura.

Ao todo, 169 livros foram enviados para inscrição, sendo que 153 obras de todo o País entraram na competição. Desses, são 67 de autores “veteranos”, 86 de autores estreantes. Todos são livros de ficção no gênero romance, escritos originalmente em língua portuguesa, com primeira edição mundial no Brasil e cuja comercialização da primeira edição tenha ocorrido no ano de 2013.

A ênfase no romance á uma característica do Prêmio São Paulo de Literatura desde sua criação, em 2008, inspirado no britânico Man Booker Prize. Atualmente, ele é executado em parceria com a organização social SP Leituras.

A programação das palestras com os autores será divulgada em breve, no site www.premiosaopaulodeliteratura.org.br

 

Júri inicial e Curadoria

Como nos anos anteriores, o júri inicial foi composto por 10 profissionais ligados à área do livro e da leitura, incluindo livreiros, editores, acadêmicos e críticos. Os jurados foram: Jefferson Agostini Mello, Jiro Takahashi, Manuel da Costa Pinto, Margaret Alves Antunes, Maria Antonia Pavan de Santa Cruz, Maria Celeste de Souza, Mirhiane Mendes de Abreu, Paloma Vidal, Ricardo Ramos Filho e Sandra Regina Ferro Espilotro.

Já os curadores do Prêmio têm, dentre outras, a responsabilidade de compor os o corpo de jurados (inicial e final) e avaliar se os livros inscritos atendiam ao regulamento do concurso. Os curadores desta edição do Prêmio são Lígia Fonseca Ferreira, Marcia Elisa Garcia de Grandi, Maria de Lourdes Ortiz Gandini Baldan, José Castilho Marques Neto e Andrea Saad Hossne.

O júri final, que escolherá os três vencedores, será formado por cinco profissionais do meio literário a serem escolhidos pela organização do Prêmio.

 

Prêmio São Paulo de Literatura – Histórico

O Prêmio São Paulo de Literatura foi criado em 2008 pelo Governo do Estado de Sãs Paulo como forma de valorizar a produção literária, estimular novos autores e incentivar a leitura. Hoje, está entre os prêmios literários de maior visibilidade no País e vem ajudando a divulgar obras e autores que se tornam relevantes no cenário nacional.

Entre os autores premiados em outras edições estão grandes nomes da literatura nacional, como Cristóvão Tezza (O filho eterno), Ronaldo Correia de Brito (Galiéia), Raimundo Carrero (Minha alma é irmã de Deus), Tatiana Salem Levy (A Chave de Casa) e Rubens Figueiredo (Passageiro do fim do dia) e Bartolomeu Campos de Queirós (in memoriam, por Vermelho amargo).

 

Desde que foi criado, o Prêmio teve participação de um total de 1.177 livros e contribuiu de forma decisiva para dar visibilidade não só às obras vencedoras, mas também aos trabalhos finalistas.

 

Vencedores das outras edições

2013
Melhor Livro do Ano – Daniel Galera, com Barba Ensopada de Sangue

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante +40 Paula Fábrio com Desnorteio

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante -40 Jacques Fux com Antiterapias

2012
Melhor Livro do Ano – Bartolomeu Campos de Queirós, Vermelho amargo (in memoriam)

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante – Suzana Montoro, Os hungareses

2011
Melhor Livro do Ano– Rubens Figueiredo, Passageiro do fim do dia.

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante – Marcelo Ferroni, com Método prático de guerrilha.

2010
Melhor Livro do Ano – Raimundo Carrero, A minha alma é irmã de Deus.

Melhor Livro do Ano  – Autor Estreante – Edney Silvestre, Se eu fechar os olhos agora.

2009
Melhor Livro do Ano – Ronaldo Correia de Brito, Galiléia.

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante – Altair Martins, A parede no escuro.

2008
Melhor Livro do Ano – Cristóvão Tezza, O filho eterno.

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante – Tatiana Salem Levy, A chave de casa.

Compartilhar: