Prêmio São Paulo de Literatura 2013 anuncia finalistas

Resultado final

O anúncio do resultado final do Prêmio será feito no dia 25 de novembro, no auditório do Museu da Língua Portuguesa. Até a cerimônia, o público de todo o Estado terá a oportunidade de conhecer alguns dos finalistas, que serão convidados para participar debates promovidos pelo Prêmio tanto na Capital quanto no interior do Estado.

A programação será divulgada em breve nos sites www.cultura.sp.gov.br ewww.premiosaopaulodeliteratura.org.br.

 

Júri inicial e Curadoria

Como nos anos anteriores, o júri inicial foi composto por 10 profissionais ligados à área do livro e da leitura, incluindo livreiros, editores, acadêmicos e críticos. Os jurados foram: Ana Lúcia Trevisan, Gênese Andrade da Silva, José Roberto Barreto Lins Filho, Marco Antonio de Moraes, Maria da Aparecida Saldanha, Ricardo Ramos Filho, Sandra Regina Ferro Espilotro, Silvio Lancellotti, Sylvia Helena Telarolli de Almeida Leite e Vera Sá.

 

Já os curadores do Prêmio têm, dentre outras, a responsabilidade de propor os membros do júri inicial do prêmio e avaliar se os livros inscritos cumpriam o regulamento do concurso. Os curadores desta edição do Prêmio são Lígia Fonseca Ferreira, Marcia Elisa Garcia de Grandi, Maria de Lourdes Ortiz Gandini Baldan, Marisa Philbert Lajolo e Quartim de Moraes.

 

O júri final, que escolherá os três vencedores, será formado por cinco profissionais do meio literário a serem escolhidos pela organização do Prêmio.

 

Prêmio São Paulo de Literatura – Histórico

O Prêmio São Paulo de Literatura foi criado em 2008 pelo Governo do Estado de Sãs Paulo como forma de valorizar a produção literária, estimular novos autores e incentivar a leitura. Hoje, está entre os prêmios literários de maior visibilidade no País e vem ajudando a divulgar obras e autores que se tornam relevantes no cenário nacional. Desde que foi criado, o Prêmio teve participação de um total de 1.177 livros e contribuiu de forma decisiva para dar visibilidade não só às obras vencedoras, mas também aos trabalhos finalistas.

 

Vencedores das outras edições

 

2012     

Melhor Livro do Ano – Bartolomeu Campos de Queirós, Vermelho amargo (in memoriam)

Melhor Livro do Ano – Autor estreante – Suzana Montoro, Os hungareses

 

2011     

Melhor Livro do Ano– Rubens Figueiredo, Passageiro do fim do dia.

Melhor Livro do Ano – Autor estreante – Marcelo Ferroni, com Método prático de guerrilha.

 

2010     

Melhor Livro do Ano – Raimundo Carrero, A minha alma é irmã de Deus.

Melhor Livro do Ano  – Autor estreante – Edney Silvestre, Se eu fechar os olhos agora.

 

2009     

Melhor Livro do Ano – Ronaldo Correia de Brito, Galiléia.

Melhor Livro do Ano – Autor estreante – Altair Martins, A parede no escuro.

 

2008     

Melhor Livro do Ano – Cristóvão Tezza, O filho eterno.

Melhor Livro do Ano – Autor estreante – Tatiana Salem Levy, A chave de casa.

 

Incentivo à Leitura

O Prêmio São Paulo de Literatura integra um conjunto de ações da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo que visam valorizar a produção literária e incentivar a leitura. O apoio financeiro a escritores acontece também por meio dos editais do ProAC – o programa de incentivo cultural do Governo do Estado de São Paulo que este ano distribuirá R$ 1,75 milhão para 60 projetos de criação literária em diversos gêneros, além de modernização de bibliotecas públicas. O ProAC tem se mostrado uma ferramenta importante de descoberta de novos talentos literários. No Prêmio São Paulo de Literatura do ano passado, a vencedora da categoria autor estreante, Suzana Montoro, havia publicado o seu livro, Os Hungareses, graças ao apoio do programa.

 

A Secretaria também mantém, na Capital, a Biblioteca de São Paulo, modelo do conceito de “biblioteca viva” que alia um ambiente acolhedor a uma intensa atividade cultural para atrair o público de não-leitores para o universo dos livros. Este conceito é propagado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas (Siseb), coordenado pela Secretaria e que promove ações contínuas de atualização profissional e renovação de acervos em bibliotecas públicas e comunitárias, a exemplo de cursos de capacitação periódicos e do Seminário Internacional de Bibliotecas, que acontece em novembro.

 

Além dos museus relacionados à palavra escrita na Capital – Museu da Língua Portuguesa, Casa das Rosas e Casa Guilherme de Almeida – a Secretaria promove mais de 200 atividades por ano nas bibliotecas públicas do interior, incluindo apresentações de contação de histórias e palestras com escritores renomados.

Compartilhar: